[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Informação e educação do consumidor: uma necessidade urgente!

O consumo consciente e responsável constitui uma competência básica, que permite que os indivíduos sejam cidadãos activos em condições de igualdade com terceiros, tanto na sua vida profissional como pessoal.
"Nível mínimo de conhecimentos e ensino" não chega para o que deve ser um consumidor informado numa economia global, com grupos económicos com grande poder económico.
É fundamental assumir a formação, a informação e a educação do consumidor como elemento estruturante para o equilíbro da sociedade de consumo actual...

(...) "As finanças e os direitos dos consumidores são questões importantes da vida diária. Muitas pessoas não sabem como obter um empréstimo, como pagar um crédito à habitação ou como calcular juros, não sabem se podem anular um contrato ou pedir um desconto quando compram artigos danificados, e não sabem onde se devem dirigir quando as dívidas as impedem de viver as suas vidas. Os bens e serviços estão cada vez mais complexos e complicados e os consumidores têm de enfrentar as decisões sozinhos, tendo de assumir total responsabilidade pelos seus actos.
É necessário que os consumidores tenham um nível mínimo de conhecimentos e ensino para que possam perceber as informações e utilizá-las da forma mais correcta. Embora existam regras e regulamentações que os protegem, normalmente não as conhecem.
O ensino do consumidor centra-se em temas ligados ao consumo e às finanças e nas competências necessárias para gerir as finanças e o consumo do dia-a-dia e para tomar disposições para o futuro. Deste modo, tem dimensões económicas, ecológicas, técnicas, jurídicas, políticas, culturais, sociais e científicas. O ensino do consumidor habilita os alunos para que saibam como conhecer, perceber, reflectir e agir em diferentes ambientes de consumo, com base nas necessidades individuais e sociais. Começa com a perspectiva do indivíduo enquanto consumidor e visa proporcionar às pessoas os instrumentos necessários para que tomem as suas próprias decisões sobre o consumo e para que assumam a responsabilidade pelas decisões tomadas.
O consumo consciente e responsável constitui uma competência básica, que permite que os indivíduos sejam cidadãos activos em condições de igualdade com terceiros, tanto na sua vida profissional como pessoal.
" (...)

Sem comentários: