[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

quinta-feira, 29 de maio de 2008

A directora da ASAE do Norte criticou algumas inspecções...

... da entidade fiscalizadora que obrigaram instituições de solidariedade social a deitar comida fora. Fátima Araújo pediu ainda aos inspectores que sejam «sábios».

A directora da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) do Norte criticou, terça-feira, algumas inspecções da ASAE que obrigaram instituições de solidariedade social a deitar comida fora.
Fátima Araújo, que falava numa sessão de esclarecimento promovida pela associação empresarial em Viana do Castelo e acompanhada pela Rádio Geice, desafiou os homens da restauração para que se organizem em defesa da gastronomia única da região do Alto Minho, frisando que não devem esperar que seja Lisboa a defendê-los.
«Se os senhores não forem capazes de querer lutar pelos vossos interesses, Lisboa não vai tratar da vossa vida», disse, estimulando os empresários da região a lutarem por «qualquer coisa que é único», referindo-se à gastronomia tradicional da região.
A directora da ASAE do Norte pediu ainda aos inspectores da entidade fiscalizadora para que sejam suficientemente sábios, de forma a compatibilizarem gastronomia tradicional com segurança alimentar.
«Temos que ser suficientemente sábios e compatibilizar a cultura tradicional com as técnicas e com as práticas de higiene e segurança» alimentar, de forma a evitar «problemas de afectação da saúde pública», acrescentou.
Fátima Araújo adiantou que, «sob o ponto de vista legislativo, o país terá muito daquilo que os próprios empresários e a sua capacidade de iniciativa quiserem».
Contactada pela TSF sobre estas declarações, a ASAE remeteu qualquer reacção para o Ministério da Economia.
ASAE Economia Vida