[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Medicamentos: Comercialização do anti-inflamatório Parfenac suspensa

inLusa / SOL” - 29.Abr.2010

A autoridade nacional do medicamento (Infarmed) mandou suspender a comercialização de todos os lotes do anti-inflamatório Parfenac pomada por «motivos de precaução e zelo» devido ao «elevado risco» de ocorrência de reacções alérgicas

«Esta decisão tem como base a conclusão da análise de todos os dados de segurança e eficácia, realizada pelo Comité de Medicamentos de Uso Humano da Agência Europeia do Medicamento (CHMP), a todos os medicamentos com a substância activa bufexamac», refere o Infarmed em comunicado.

Segundo o Infarmed, constatou-se que a utilização de medicamentos contendo bufexamac está associada a um «elevado risco de ocorrência de reacções alérgicas de contacto graves, cuja frequência é maior em doentes com predisposição para reacções do tipo eczema».

As reacções alérgicas provocadas por estes medicamentos têm manifestações cutâneas semelhantes às situações clínicas a tratar, o que pode atrasar o correcto diagnóstico e tratamento dos doentes, acrescenta.

«Atendendo a que o benefício da utilização dos medicamentos que contêm bufexamac é muito reduzido face ao risco que apresentam, o CHMP recomendou a revogação das autorizações de introdução no mercado (AIM)» dos fármacos que contêm esta substância activa.
Em Portugal, apenas o medicamento Parfenac pomada (50 mg/g) contém esta substância.
Este medicamento anti-inflamatório não esteróide para uso tópico tem indicação em várias situações como por exemplo, eczemas, dermatites, pruridos, queimaduras, picadas de insecto e eritemas.
A empresa Home Products de Portugal, titular da autorização de introdução no mercado do Parfenac, irá proceder à recolha de todos os lotes do medicamento em Portugal.
«Recomenda-se aos doentes que se encontravam em tratamento com Parfenac que, assim que possível, devem contactar e aconselhar-se com um profissional de saúde para substituição por um tratamento alternativo mais adequado», salienta o Infarmed.

Sem comentários: