[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Estado gastou dois milhões

título nosso

NO PAÍS DOS ILHÕES, DISPÊNDIOS AOS MILHÕES

Será que, em vez de restrições, o Turismo de Portugal continua a esbanjar milhões?

E haverá controlo sobre tais dispêndios bilionários?

Alguém poderá explicar os gastos perdulários em país em que o sacrifício "sobra" só - e tão só - para os pobres?

Estado gastou dois milhões

in "Correio da Manhã"
por:Teixeira Marques
O Estado investiu dois milhões de euros no Rali de Portugal que ontem terminou com uma super especial no Estádio Algarve e com a vitória inesperada do jovem francês Sébastien Ogier (Citroën).

A prova, orçada em 4,5 milhões de euros, pode deixar de contar para o Mundial de Ralis se o Governo, devido à crise, cortar no apoio financeiro como tem vindo a ameaçar.
"Recebemos um milhão do Turismo de Portugal e outro do Instituto do Desporto", esclarece Carlos Barbosa, presidente do Automóvel Clube de Portugal, que organiza a prova.
O dirigente compreende que o milhão recebido do desporto deverá ser aplicado na construção de ginásios e escolas, mas não quer ver reduzida a verba estatal.
Indiferente às polémicas, a prova foi um êxito desportivo e organizativo.
O francês Sébastien Ogier conquistou a sua primeira vitória no Mundial de Ralis (WRC) e gastou menos 7,9 segundos do que o hexacampeão Sébastien Loeb (Citroën), que reforçou a sua liderança no campeonato. Para completar a grande superioridade da Citroën, o espanhol Dani Sordo ficou no posto mais baixo do pódio.
Armindo Araújo, ao volante de um Mitsubishi, terminou na 14ª posição, a 22.40,7 minutos do vencedor e foi o melhor português. Superou Bernardo Sousa (Ford) em 3.00,6 minutos.
O campeonato do Mundo de Ralis estará agora parado um pouco mais de um mês, retomando com o Rali da Bulgária, que está agendado para se disputar entre 9 e 11 de Julho próximo.

Sem comentários: