[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Estudo coloca Portugal em 18.º nos gastos online

por: João Pedro Pereira
inPúblico” - 28.10.2010

Portugal surge na 18.ª posição numa lista que integra 22 países europeus, ordenados em função do dinheiro gasto, per capita, em compras, serviços e publicidade na Internet.
O ranking faz parte de um estudo encomendado pela Google à empresa de consultoria Boston Consulting Group.

A Internet contribui para 7,2 por cento do PIB inglês (Reuters)

O relatório, publicado hoje, analisa, entre outros indicadores, o valor das transacções de comércio electrónico (tanto entre empresas, como em vendas a consumidores) e o investimento em publicidade online.

Abaixo de Portugal estão apenas a Suíça, Eslováquia, Itália e Grécia. Sem surpresas, a lista é encabeçada pelo Reino Unido (o país sobre o qual o estudo incide), Dinamarca e Alemanha (contando com os poucos países não europeus no estudo, o terceiro lugar é dos EUA).
Manuel Paula, da direcção da Associação do Comércio Electrónico e Publicidade Interactiva, explica que a penetração de computadores e de Internet de banda larga, onde Portugal ainda tem terreno a recuperar face aos países que tipicamente lideram estes rankings, é um dos entraves ao crescimento das vendas online.
Para além disto, Paula aponta outra “ameaça” ao crescimento das compras online: a transmissão de dados pessoais e o método de pagamento (os consumidores portugueses são tipicamente relutantes em fazer compras na Internet com cartão de crédito). “Há normalmente um sentimento negativo em torno do que acontece nos pagamentos online”, refere Manuel Palma.
A propósito do investimento publicitário, também contabilizado pelo Boston Consulting Group, Paula lembra que “o segmento online é o que mais cresce no mercado publicitário e está a crescer a dois dígitos”. Mas “é um nível de investimento que não está no patamar dos ingleses e dos nórdicos”.
O estudo, que diz respeito ao ano passado, não inclui detalhes para os países listados e tem por objectivo analisar a o impacto da Internet na economia do Reino Unido – que, segundo o Boston Consulting Group, representa já 7,2 por cento do PIB deste país, num total a rondar os 114 mil milhões de euros.
Este valor inclui, para além das vendas electrónicas, também os serviços de telecomunicações (como o acesso à Internet) e investimento em infra-estruturas de rede.
O documento refere que “a contribuição da Internet para a economia britânica é mais importante do que a indústria da construção ou o sector dos transportes”.

Sem comentários: