[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Dinheiro gasto com Ensino Superior é inferior à média europeia e da OCDE


31.01.2013

O dinheiro investido no Ensino Superior em Portugal é inferior à média dos países europeus, sublinha o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, lembrando que a despesa pública em educação varia consoante o nível de ensino. 

Universidade de Coimbra 
foto: Global Imagens/Arquivo

Num comunicado enviado para a agência Lusa, o CRUP apresenta dados de dois estudos europeus que comparam a percentagem do Produto Interno Bruto (PIB) gasto em educação, em 2009, nos 27 países da União Europeia (EU), nos países da OCDE e em Portugal. 

Quando se soma todo o dinheiro gasto pelo Estado nos diferentes níveis de ensino, Portugal surge como investindo mais do que a média da União Europeia (UE) e o mesmo que a média da OCDE (5,8%). 

No entanto, as médias escondem diferentes realidades: no Ensino Superior, Portugal gastou em 2009 menos do que a média dos 27 e do que a dos países da OCDE. 

Em média, na OCDE gastou-se 1,4% do PIB com o Ensino Superior, enquanto Portugal gastou 1,1% do PIB, segundo dados do relatório "Education at a Glance", de 2012. 

Também os dados do Eurostat mostram que a média dos países da União Europeia investiram mais no Ensino Superior: em média os 27 usaram 1,22% do seu PIB enquanto Portugal investiu 1.07%. 

O CRUP sublinha que a situação atual deverá ser ainda mais gravosa, já que estes números se reportam a 2009 e que, nos últimos três anos, houve reduções nos salários dos funcionários públicos e "severos cortes" das dotações orçamentais. 

"É plausível que hoje a percentagem de PIB investida pelo Estado no Ensino Superior seja substancialmente inferior em face da redução de salários de todos os funcionários públicos" e dos "severos cortes ao nível das dotações orçamentais do Estado que se verificaram nos anos 2012 e 2013", lembra o CRUP em comunicado. 

A consulta dos dados disponibilizados pelos estudos permite ao CRUP afirmar que "a despesa pública em educação não é idêntica em todos os níveis de ensino", sendo superior no Ensino Básico e Secundário. 

Os números do relatório da OCDE, mostram que o Estado português gasta mais do que a média da OCDE no Ensino Básico e Secundário: o 1.º, 2.º e 3.º ciclo do Básico e Secundário absorvem 4,2% do PIB português, enquanto a média dos países da OCDE é de 3,8%. 

Através do Eurostat é possível perceber que a maior fatia do PIB é investida no 3.º ciclo, Secundário e ensino pós-Secundário não Superior, que em Portugal representa 2,6% (mais 0.19% que na média da UE). O 1.º e 2.º ciclo gasta 1,56% do PIB nacional, mais 0,32% que a média da UE.

Sem comentários: