[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Zara pede devolução de colar por risco de cancro


por:  Nuno Noronha // Notícias
A advertência feita pela Comissão Europeia refere que o acessório contém cádmio, um metal pesado com efeitos tóxicos no organismo humano. 
 

O colar, composto de metais e missangas, já não está à venda nas lojas da Zara nem no site deste retalhista.
 
O colar contém cádmio, um metal pesado com efeitos tóxicos mesmo em concentrações muito pequenas
créditos: DR
Zara pede a clientes devolução de colar por risco de cancroA marca do grupo têxtil espanhol Inditex afixou uma nota informativa nas lojas, solicitando aos clientes que devolvam um colar comercializado pela marca cuja composição representa um perigo para a saúde. (ver imagem)

O colar contém cádmio, um metal pesado com efeitos tóxicos para o organismo humano, mesmo em concentrações muito pequenas.

A União Europeia ordenou a retirada do produto do mercado por "risco sério".

"O produto contém cádmio (valor medido: até 90% em peso). O cádmio é prejudicial para a saúde humana, porque se acumula no corpo e pode danificar os órgãos e/ou causar cancro. O produto não está em conformidade com o Regulamento REACH", lê-se no comunicado da Comissão Europeia.

Nas lojas, o cartaz datado de 20 de abril encontra-se na zona de caixas. Para além da imagem do colar e da referência do artigo, a composição não é especificada, nem a razão pela qual a recolha está a ser feita.
Texto da nota da Zara: Algumas unidades deste artigo podem conter partes que ultrapassem os limites permitidos de componentes passíveis de afetar o meio ambiente e, em caso de ingestão, a saúde. Apesar de não ter sido comunicada nenhuma ocorrência, queremos proceder à recolha de todas as unidades. Se adquiriu um destes produtos, por favor, contacte-nos. Poderá deslocar-se a qualquer uma das nossas lojas ou contactar o serviço de apoio ao cliente através do número 800 202 610, para lhe indicarmos como deve proceder para receber o reembolso. Pedimos desculpa pelo incómodo causado.
(...)
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Sem comentários: