[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quinta-feira, 16 de março de 2017

Compra de vários produtos com substâncias químicas terá que ser autorizada pela PSP


A compra por particulares de produtos com substâncias químicas passíveis de serem usadas para fabrico de explosivos - como fertilizantes, detergentes, tintas ou cosméticos - terá de ser autorizada pela PSP, alertou hoje um responsável da polícia.
"Trata-se de uma medida restritiva, mas de prevenção para a venda lícita deste tipo de produtos perigosos que possam vir a ser utlizados em atentados terroristas", disse à agência Lusa o intendente Pedro Moura, responsável pelo Departamento de Armas e Explosivos (DAE) da PSP.

A medida está prevista num regulamento da União Europeia e já foi transposta para a legislação nacional, através de um diploma publicado em agosto de 2016, estando agora a PSP a realizar ações de sensibilização e de informação junto dos operadores económicos sobre a comercialização e utilização de precursores de explosivos.

No final de uma sessão pública sobre os precursores de explosivos (substâncias ou misturas com grande potencial para serem utilizadas no fabrico de explosivos), Pedro Moura adiantou que há produtos com determinadas substâncias químicas vendidos licitamente, que, em determinadas quantidades, podem ser utilizados para fabricar explosivos artesanais e utilizados em atentados terroristas, como aconteceu na Bélgica, em março de 2016.

O responsável pelo DAE da PSP explicou estarem em causa produtos comuns como alguns utilizados na agricultura, limpeza de piscinas, tintas, fertilizantes e cosméticos e que contêm acetona, ácido sulfúrico, peróxidos e cloratos.
(...)

Sem comentários: