[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

sexta-feira, 17 de março de 2017

É nestes cinco momentos que deve evitar beber água



© Fornecido por New adVentures, Lda.
A ingestão regular de água ao longo do dia é um dos hábitos mais amigos da saúde física e mental. A recomendação é que sejam ingeridos entre um litro e meio e dois litros de água por dia, podendo a quantidade variar de pessoa para pessoa e da regularidade com que pratica atividade física.

Por todos os benefícios a que está associada – e que vão desde a prevenção da diabetes e da obesidade ao impulso que dá ao metabolismo, nunca esquecendo, claro, a hidratação -, a água deve fazer parte da rotina diária, contudo, existem momentos em que o seu consumo não é recomendado. Afinal, não basta beber água, é preciso saber fazê-lo.

Um desses momentos, diz a revista Prevention no seu site, é quando o consumo ao longo do dia já foi excedido. A intoxicação por água existe e pode mesmo ser fatal, uma vez que desencadeia uma queda abrupta dos níveis de sódio no sangue – condição chamada de hiponatremia.

Um outro momento em que o consumo de água deve ser evitado é quando a urina já está limpa ao ponto de parecer transparente. Este é mais um sinal de que o corpo está mais do que hidratado e que já se bebeu água suficiente.

Embora seja uma ótima aliada da boa digestão e até mesmo do trânsito intestinal, a água deve ser evitada depois de se ter feito uma grande refeição. Diz a publicação que beber muita água durante a refeição ou depois de a terminar pode causar algum desconforto ou até mesmo inchaço, sintomas que se podem prolongar durante algum tempo, interferindo com o bem-estar da pessoa. Beber água antes da refeição é o mais recomendado.

Quem pratica atividade física com regularidade sabe o quão importante é beber água antes, durante e depois do treino (não só para hidratar, como também para dar ao corpo o impulso que precisa para reagir ao treino), mas o seu consumo deve ser evitado quando em está em causa um treino de alta intensidade ou durabilidade, como uma meia-maratona ou maratona.

Nestes casos de esforço extremo por parte do atleta, o consumo de água apenas vai fazer com que o corpo perca ainda mais potássio e sódio, que já estão a ser amplamente ‘expulsos’ através do suor. O melhor, diz a publicação, é trocar a água por bebidas nutricionalmente mais ricas, como a água de coco, que é rica em potássio, magnésio, sódio e vitamina C.

Por fim, o consumo de água deve ser ainda evitado quando a pessoa não quer beber apenas água e opta por águas aromatizadas que são vendidas já engarrafadas. Apesar de serem vistas como água, estas versões aromatizadas até podem matar a sede e contribuir para a boa hidratação, mas os adoçantes que possuem vão fazer com que se tenha fome. O melhor é mesmo recorrer ao chá não adoçado.

Sem comentários: