[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quarta-feira, 8 de março de 2017

Número de nascimentos em Portugal registou a queda mais acentuada da UE

Portugal continua a ter uma taxa de fertilidade entre as mais baixas da União Europeia. As mulheres têm menos filhos e escolhem fazê-lo cada vez mais tarde.

bebe

Portugal é o país da União Europeia (UE) onde nos últimos quinze anos se registou a maior queda no número de nascimentos. Segundo dados do Eurostat, as mulheres têm cada vez menos filhos e escolhem fazê-lo cada vez mais tarde. Em 2015, terão nascido 85.500 bebés no país, menos 24,2% em comparação com 2001. 

O relatório da Eurostat publicado esta quarta-feira traz outras más notícias no que respeita à natalidade. O país lidera a lista de países em que o número de nascimentos mais retraiu em quinze anos, com uma larga margem de diferença. Em 2001 terão nascido 112.774 bebés, enquanto em 2015 o número caiu para os 85.500 (-24,2%). 

A Holanda é o segundo país europeu com a maior queda (-15,8%), de 202.603 para os 170.510. Seguem-se a Dinamarca (-11,1%), Roménia (-10,4%) e Grécia (-10,2%).

Do lado oposto da tabela, dentro dos países onde nos últimos quinze anos se contabilizou um maior número de nascimentos, parece a Suécia. No país nórdico verificou-se uma subida de 25,6%, de 91.466 para os 114.870 nascimentos. A República Checa (+22,1) e a Eslovénia (+18,1%) encerram o top 3 do conjunto de países com maiores resultados.
(...)

Sem comentários: