[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quinta-feira, 16 de março de 2017

Vinho, carne, sal e açúcar em excesso. Um retrato nutricional dos portugueses

Alimentação
Autor:
João Francisco Gomes

16-03-2017 

Inquérito Alimentar Nacional revela dados alarmantes. Por exemplo, os idosos consomem demasiado álcool e os jovens demasiados refrigerantes. Portugueses continuam a preferir a carne aos vegetais.
Os portugueses consomem em média 90 gramas de açúcar por dia
Getty Images

Os portugueses consomem carne e lacticínios em excesso e não comem frutas, vegetais e cereais suficientes. Além disso, abusa-se do sal e não se respeita a tradicional dieta mediterrânica. As conclusões são do Inquérito Alimentar Nacional, que é apresentado esta quinta-feira na Universidade do Porto e resulta de entrevistas a 6.533 portugueses. Os resultados permitem aferir os hábitos alimentares e de exercício físico da população entre os três meses e os 84 anos de idades — e há várias conclusões relevantes a tirar do documento.

Consumo de álcool alarmante na terceira idade

Dos mais de dois milhões de idosos que vivem em Portugal, há cerca de 105 mil (5%) que consomem mais de um litro de álcool diariamente, com o vinho a aparecer como a bebida mais consumida. É perto de dez vezes mais do que o recomendado. Mas há mais dados sobre o consumo de álcool: os portugueses consomem em média 146 gramas por dia (um copo e meio de vinho, por exemplo); os idosos consomem mais do que os adultos e os homens consomem mais do que as mulheres.

Portugueses comem demasiada carne

A recomendação é que apenas 5% da alimentação seja composta por alimentos do grupo das carnes, pescado e ovos, mas os portugueses dão-lhe um peso muito maior, de 15%. Pior: 34% da população (mais de 3,5 milhões de pessoas) consome mais de 100 gramas de carne vermelha diariamente, um alimento diretamente relacionado com o cancro do cólon. No sentido inverso estão as frutas e legumes, que deviam representar perto de um quarto da alimentação diária. Os portugueses comem muito menos (apenas 11% do que ingerem). Se a OMS recomenda um consumo de 400 gramas diários de hortaliças, a verdade é que mais de metade dos portugueses não cumpre a indicação.

Açúcar e sal muito acima da média

É sabido que são alimentos prejudiciais à saúde se consumidos em excesso, mas nem por isso deixam de representar uma grande fatia (e aqui podemos ser literais, uma vez que os bolos são dos alimentos que mais contribuem para este excesso) da alimentação nacional. Primeiro o açúcar: os portugueses consomem em média 90 gramas de açúcar por dia, quando a média diária recomendada é de apenas 50 gramas. É quase o dobro. Além dos bolos e bolachas, os refrigerantes são uma das principais fontes desse açúcar, com o seu consumo a ser mais incidente nos jovens — 40% dos adolescentes portugueses consomem mais de um refrigerante ou sumo por dia.
 
(...)

Sem comentários: