[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Comprar para arrendar. Estou a fazer um bom negócio?


Imobiliário
por: Ana Margarida Pinheiro
 
26.04.2017


 
O imobiliário está a ser, para muitos portugueses, uma nova forma de investir. Mas é importante saber o que o mercado oferece antes de avançar 
 

Pedir um crédito para compra de habitação própria é mais vantajoso do que contratar para posterior arrendamento. O Dinheiro Vivo e o ComparaJá fizeram uma análise às ofertas existentes no mercado e, quem compra casa para abrir a terceiros, recebe, desde logo, uma menor percentagem de financiamento. O tempo de vida do crédito também pode ser menor.

“Enquanto que no crédito à habitação para aquisição da primeira casa os bancos costumam financiar 80% ou, em alguns casos, até mais, no empréstimo para arrendamento este valor pode não ultrapassar 60%”, refere a equipa de Sérgio Pereira, do ComparaJá, ao Dinheiro Vivo.

Não é só. Também o spread será diferente devido ao nível de risco ao adquirir uma segunda casa. Atualmente, é possível contratar um empréstimo para habitação própria permanente com um spread inferior a 2%. E este valor dificilmente se repetirá em noutras condições. 
 
Vamos a números 
 
A Paula e o Manuel, com 42 e 50 anos, e um salário líquido mensal de conjunto 4500 euros, querem comprar um T3 em Lisboa, construído em 2005. O valor do imóvel, que servirá para arrendar, é de 250 mil euros. 
(...)

Sem comentários: