[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Novas regras europeias para criar serviços públicos digitais interoperáveis



C-Studio
19.Abril.2017
 
O Novo Quadro Europeu de Interoperabilidade fornece recomendações que permitem ajudar a acelerar os serviços públicos, em benefício dos cidadãos e das empresas, reduzindo a burocracia e os custos para os contribuintes.
 
Novas regras europeias para criar serviços públicos digitais interoperáveis

O novo Quadro Europeu de Interoperabilidade (FEI, na sigla em inglês) foi aprovado pela Comissão Europeia e adoptado em Março passado. O seu enquadramento fornece orientações específicas sobre a melhor forma de se criarem serviços públicos digitais interoperáveis.

Oferece ainda recomendações concretas e direccionadas às administrações públicas sobre como melhorar a governação das suas actividades de interoperabilidade, estabelecer relações inter-organizacionais, agilizar os processos que suportam serviços digitais de "end-to-end" e garantir que tanto a legislação existente como a nova não comprometem os esforços de interoperabilidade.

O novo FEI surge integrado na estratégia da Comissão de criar um mercado único digital na Europa sendo que, neste campo, o sector público (que representa mais de um quarto do emprego total e cerca de um quinto do PIB da UE através de contratos públicos) desempenha um papel fundamental no mercado único digital como regulador, prestador de serviços e empregador.

A Comissão acredita que a implementação bem-sucedida do FEI melhorará a qualidade dos serviços públicos europeus e criará um ambiente em que as administrações públicas poderão colaborar digitalmente.

Porquê um novo Quadro Europeu de Interoperabilidade?
 
(...)

Sem comentários: