[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Quando as crianças mudam os hábitos dos pais

Economia Social
 
Autor
 


Dois mil alunos do Lumiar participaram num projeto educativo virado para as questões ambientais. Integrado no LisbonWeek 2017, sensibilizou os mais novos para a redução do uso do plástico. Com sucesso
V.VEIGA VENTURA

Reduzir o consumo do plástico, mas também incentivar à reciclagem e à transformação destes resíduos em arte foi o desafio da LisbonWeek 2017, um projeto cultural que em cada edição oferece ao público várias propostas para explorar um bairro da cidade, durante uma semana. Este ano foi escolhido o Lumiar.

A ideia de criar um projeto educativo associado ao evento surgiu pelo facto de existir um grande número de instituições públicas e privadas na freguesia. Começou a ser desenvolvido em outubro passado e terminou no fecho da 4ª edição do LisbonWeek, a 2 de abril deste ano. Entre 25 de março e esta data esteve em exposição no Parque da Quinta das Conchas a obra criada pelos alunos: uma estrutura de quatro quilos de plástico recolhido na praia de Algés, desenhando a frase “Salvem os Oceanos”, para a qual cada escola criou uma letra. A frase apela a uma atitude de relação consciente com a natureza, em nome de um futuro sustentável.


A abordagem do tema “foi um desafio, pois contribuímos e colaborámos favorecendo uma cultura de participação e corresponsabilidade a favor das comunidades e causas relevantes para a cidade, tendo o resultado sido bastante positivo”, garante Ilda Magro. A responsável pelo projeto educativo, representando a Câmara Municipal de Lisboa (CML), coprodutora do LisbonWeek, sublinha a importância deste tipo de trabalho junto das populações mais novas “uma vez que elas são o futuro”.

Ações de sensibilização e exemplos práticos

O projeto educativo arrancou em outubro e envolveu mais de dois mil alunos dos 6 aos 12 anos de 13 escolas e colégios da freguesia do Lumiar, assim como os respetivos professores. Esta primeira fase, realizada em parceria com o Oceanário de Lisboa, incluiu visitas às escolas em ações de sensibilização que explicaram “as causas e os resultados do lixo marinho para o ecossistema”. A formação teórica em aula foi sendo complementada com exemplos práticos do dia-a-dia. Patrícia Filipe, diretora de Educação e Comunicação do Oceanário de Lisboa, lembra que esta etapa “constitui uma mais-valia para os alunos, enquadrando o tema e sensibilizando para a necessidade urgente” de se redesenhar a relação com o plástico.
(...)

Sem comentários: