[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Canela ajuda a reduzir o açúcar no sangue e o excesso de peso

Quarta-Feira - 10 de maio de 2017 
Fundado em 29 de dezembro de 1864

Ratos alimentados com um suplemento de canela apresentaram menos gordura abdominal e melhores níveis de açúcar e gordura no sangue. Resta saber se é assim nos humanos

Se há quem polvilhe o pastel de nata com canela porque gosta do sabor, outros fazem-no porque existe a convicção que esta especiaria ajuda a diminuir o açúcar no sangue. A canela, sabe-se agora, também pode diminuir o risco de danos cardiovasculares causados por uma dieta rica em gordura. Segundo um estudo feito em ratos, é um ingrediente que ativa moléculas antioxidantes e anti-inflamatórias e ajuda a combater o armazenamento de gordura.

Durante 12 semanas, um grupo de investigadores alimentou dois grupos de ratos com uma dieta rica em gordura, sendo que um deles também recebia canela. No final desse período, aqueles que eram alimentados com a especiaria tinham menos gordura abdominal e níveis mais saudáveis de açúcar, insulina e gordura no sangue.

De acordo com os resultados preliminares do estudo, apresentados no congresso da Associação Americana do Coração, o grupo alimentado com canela apresentava, ainda, menos moléculas envolvidas no processo de armazenamento de gordura no corpo e mais moléculas antioxidantes e anti-inflamatórias, que protegem o organismo dos danos do stress. Resultados que, segundo os investigadores, têm de ser aprofundados.

Nuno Borges, membro da direção da Associação Portuguesa de Nutricionistas (APN), diz que o estudo "é interessante e promissor", mas deve ser visto com "cautela". "É preciso perceber se tem o mesmo efeito nas pessoas e quais as doses necessárias para esse efeito", afirma o nutricionista, acrescentando que "a canela é rica em compostos que podem ser interessantes", mas ainda não existem muitos estudos científicos que comprovem os seus benefícios.

(...)

Sem comentários: