[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Polémica dos adoçantes. Há quem diga que fazem mal à saúde, mas a ciência mostra o contrário


Usados na alimentação, bebidas e até em produtos farmacêuticos, os adoçantes hipocalóricos ou sem calorias continuam na mira de nutricionistas e ativistas. Lisboa acolheu um encontro internacional que contou com 67 especialistas que debateram o tema. 
 

Os adoçantes estão nas bebidas, gelados, iogurtes, bolachas, pastilhas elásticas e até nos produtos farmacêuticos, mas são motivo de desconfiança para cientistas em todo o mundo. Algo que Lluís Serra-Majem, Catedrático de Medicina Preventiva e Saúde Pública, em Espanha, contrapõe.

"Os adoçantes constituem um elemento de inegável interesse e atualidade, apesar de existir um certo desconhecimento por parte de alguns setores da população e do âmbito académico", comenta Lluís Serra-Majem, professor na Universidade de Las Palmas em Gran Canária.

Da nutrição à endocrinologia, passando pela saúde pública, pediatria, entre outras áreas, 67 peritos estiveram reunidos em Lisboa, nos dias 3 e 4 de julho, para analisar o papel do adoçantes na alimentação, a sua segurança, as medidas regulatórias e os aspetos nutricionais. Sérgio Cunha Velho de Sousa, nutricionista do Hospital Pediátrico de Coimbra e codiretor do encontro, defende que os adoçantes são uma ferramenta que contribui para a redução do consumo de açúcares adicionados, com vantagens na prevenção da obesidade, diabetes e cáries dentárias.

"A maioria dos estudos que investigam o papel dos adoçantes sem ou de baixas calorias no controlo do peso demonstraram que substituir alimentos e bebidas da alimentação diária por versões com menor aporte e até mesmo sem aporte de calorias, como parte de um programa de controlo calórico, pode levar a reduzir a ingestão calórica global e desempenhar um papel significativo no controlo de peso. Para além disso, os adoçantes sem ou de baixas calorias oferecem às pessoas com diabetes alternativas para desfrutar do sabor doce, sem aumentar a glicose no sangue", acrescenta.
 
(...)

Sem comentários: