[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

11 grandes devedores da Caixa: cinco estão em liquidação – e há mais quatro que não pagam

  
por: Ana Suspiro
 
 07.Agosto.2017
 
 

Entre os grandes devedores de alto risco da Caixa Geral de Depósitos, há empresas em liquidação e outras que não estão a pagar empréstimos. Perdas de mais de mil milhões já terão sido reconhecidas.
 
A lista dos maiores devedores em risco da Caixa Geral de Depósitos (CGD) não é oficialmente conhecida. A Caixa e o Ministério das Finanças recusaram entregá-la à comissão parlamentar de inquérito que investigou as causas de recapitalização do banco. Mas há um conjunto de grandes devedores com empréstimos em risco que são públicos. No ano passado até foi divulgada uma lista de 11 investidores que estariam nessa situação, no verão de 2015, que nunca foi desmentida. Alguns destes casos têm vindo a público, com números, nos processos de recuperação e insolvência que entraram no sistema judicial.

Entre os maiores devedores de risco da CGD, há sociedades que foram declaradas insolventes e que se encontram em processo de liquidação. Só nos últimos dois meses, aconteceram três casos, todos com sotaque espanhol. Dois em Portugal — a Artlant (fábrica da ex-La Seda em Sines) e a Acuinova (unidade de aquacultura da Pescanova em Mira), declaradas insolventes em julho — e um em Espanha — a sociedade imobiliária Reyal Urbis que foi para liquidação em junho.

Juntam-se a outras duas grandes devedoras da Caixa que já estavam em processo de liquidação, a Finpro e várias sociedades do Grupo Espírito Santo. No ranking das maiores dores de cabeça no crédito concedido, há ainda, pelo menos, quatro sociedades que não estão a pagar todos os empréstimos ao banco do Estado, encontrando-se em situação de incumprimento.

A Soares da Costa — viu o PER (Processo Especial de Revitalização) recusado pelo juiz, estando agora a preparar um novo plano. Duas concessionárias de autoestradas estão em incumprimento com os bancos financiadores e a sociedade gestora do resort de Vale do Lobo também tem crédito vencido.
(...)

Sem comentários: