[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Bélgica esperou dois meses até alertar para ovos contaminados

Alertadas por uma exploração belga, as autoridades sanitárias daquele país esperaram quase dois meses para alertar o público e as entidades europeias, uma decisão que está a gerar consternação na Europa.


De acordo com o que afirma o matutino francês Le Monde, as autoridades sanitárias belgas foram alertadas no dia 2 de junho para a contaminação da produção de ovos pelo pesticida Fipronil. O alerta partiu de uma exploração local. Mas, ao invés de partilhar imediatamente esta informação com os restantes Estados-membros da União Europeia, as autoridades belgas esperaram até ao dia 20 de julho para lançar o alerta, uma decisão que o Governo local afirma ter sido tomada para preservar o secretismo da investigação em curso. 

Esta decisão revelou-se polémica entre o público belga, estando as autoridades judiciais daquele país a investigar o sucedido, afirma o jornal francês. 

A crise dos ovos contaminados com Fipronil começou na Bélgica, espalhando-se seguidamente para a Holanda e, daí para mais cinco países: Alemanha, Reino Unido Suécia, Suíça e, agora, França, cujo ministro da Agricultura anunciou na passada terça-feira terem sido tomadas medidas de controlo para determinar a extensão da contaminação naquele país.

Sem comentários: