[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Há mais seis bancos globais unidos para criar moeda digital

Depois da iniciativa do suíço UBS, que juntou o Deutsche Bank, o Santander e o BNY Mellon para criar moeda digital, outros seis bancos globais unem-se com o mesmo objetivo.



31.ago.2012


 


Barclays, HSBC e Credit Suisse são só três dos seis gigantes da banca mundial que anunciaram a iniciativa conjunta de criarem uma moeda digital, com o objetivo de aumentar a eficiência do mercado financeiro. O anúncio vem depois de o UBS se ter aliado ao Deutsche Bank, Santander e BNY Mellon para criar a utility settlement coin.
Barclays, Credit Suisse, Canadian Imperial Bank of Commerce, HSBC, MUFG e State Street formam a nova aliança do mundo da banca que quer apostar na moeda digital. Vão trabalhar a utility settlement coin avançada pelo suíço UBS, tirando partido da tecnologia de blockchain que permite que a moeda utilizada nas várias transações seja verificada eletronicamente, eliminando a necessidade de um registo centralizado.
A utility settlement coin permite que os grupos financeiros não tenham de esperar pelas transferências de dinheiro tradicionais estejam concluídas para poderem fazer pagamentos entre si ou comprar ativos. Isto acrescenta eficiência porque poupa no tempo e encargos necessários para os processos de transação.
A moeda digital é facilmente convertível em diferentes divisas, uma vez que estas se encontram armazenadas na corrente de blockchain. Hyder Jaffrey o responsável de investimento estratégico e inovação fintech do UBS, diz ao Financial Times que espera que a partir do final de 2018 já seja possível a um banco transferir 100 milhões para um banco estrangeiro quase instantaneamente através deste novo método.
Ambos os grupos de instituições financeiras que investem agora na moeda eletrónica querem entrar em discussões mais profundas com os bancos centrais para definirem políticas de proteção de dados e cibersegurança.

Sem comentários: