[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Johnson & Johnson condenada a pagar 353 milhões de euros por cancro de mulher

Eva Echeverria alegou que a empresa não alertou convenientemente os consumidores quanto ao risco de desenvolverem cancro por causa dos produtos à base de talco

/ AM 
In "TVI 24 - internacional
 
Um tribunal de Los Angeles condenou na segunda-feira a Johnson & Johnson a pagar um valor recorde de 417 milhões de dólares (cerca de 353 milhões de euros) a uma mulher que afirmou ter desenvolvido cancro nos ovários após usar o pó de taco daquela empresa.
A mulher, que está hospitalizada, interpôs uma ação judicial contra a companhia norte-americana, alegando que o pó de talco para bebés que comercializa provoca cancro nos ovários, quando usado regularmente na higiene feminina.
O veredicto do tribunal, no processo movido pela californiana Eva Echeverria, estabeleceu a maior quantia alguma vez concedida numa série de processos judiciais contra a Johnson & Johnson por causa do pó de talco, em tribunais dos Estados Unidos da América (EUA).
Eva Echeverria alegou que a Johnson & Johnson não alertou convenientemente os consumidores quanto ao risco de desenvolverem cancro por causa dos produtos à base de talco.
A queixosa usou o pó de talco para bebé daquela companhia numa base diária desde 1950 até 2016 e foi diagnosticada com cancro dos ovários em 2007, de acordo com o processo.
Johnsons 
Johnsons.
Reuters

A porta-voz da Johnson & Johnson, Carol Goodrich, disse em comunicado que a empresa vai recorrer da decisão do júri, acrescentando que a evidência científica mostra a segurança do pó de talco para bebés da Johnson.
O veredicto surge depois de um tribunal no Missouri ter condenado a empresa ao pagamento de 110,5 milhões de dólares a uma mulher da Virgínia a quem foi diagnosticado cancro dos ovários em 2012. Além desse caso, três outros tribunais de St. Louis aplicaram sentenças semelhantes no ano passado, com os júris a ordenar o pagamento de indemnizações nos valores de 72 milhões, 70,1 milhões e 55 milhões, num total que ascende aos 307,6 milhões de dólares.

 
 

 

Sem comentários: