[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Mário Frota: “Ninguém se deveria servir do seu cargo para fazer campanha”

 
11/08/2017


O Alvorada desta sexta-feira, 11 de agosto, contou com o comentário à atualidade de Mário Frota, presidente da Associação Portuguesa de Direito do Consumo e professor na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (UC). 

A marcar a agenda local está a visita do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, hoje a Coimbra. A presença dos membros do executivo socialista deve-se à entrega da empreitada da obra de desassoreamento do Rio Mondego – Albufeira de Coimbra. A cerimónia decorre hoje pelas 11h30, na Ponte Pedonal e Ciclável (ainda em fase de conclusão), junto ao Açude. Segundo nota do município, os trabalhos de desassoreamento visam a retirada de um volume de 700 mil metros cúbicos de sedimentos, numa extensão de 3,5 km. Mário Frota salvaguardou que esta é uma obra que faz sentido, apesar de “pecar por tardia”. Recordando ainda a recente inauguração da rotunda do Arnado-Fernão Magalhães, com a estátua Cindazunda, o professor lamentou o facto de continuarem a ser feitas cerimónias públicas por parte do município depois de entregues as listas para as autárquicas de 1 de outubro. 

 






Os incêndios de ontem marcam as primeiras páginas dos jornais de hoje. A1, A14 e A23 estiveram encerradas devido às labaredas dos incêndios próximos e a Linha Ferroviária do Sul esteve cortada em Grândola. Os concelhos de Abrantes, Melhada e Vila Real foram os mais atingidos. Mário Frota relembra a tragédia de Pedrógão Grande para ironizar o flagelo dos incêndios e sugere que Portugal passa a chamar-se “Terra do Fogo”. O professor da Faculdade de Direito da UC fez questão de alertar para a necessidade de Portugal aproveitar as estratégias de combate aos incêndios de Espanha ou de França. 

 






João Cadete de Matos recebeu ontem luz verde do Conselho de Ministros para presidir à ANACOM durante os próximos seis anos. Os restantes nomes que inicialmente o acompanhavam não foram alvo de aprovação na reunião, uma vez que foram rejeitados por terem estado relacionados com operadoras de comunicação. Os nomes que venham, agora, a ser propostos pelo Governo voltam a ser discutidos no Parlamento apenas em setembro, devido às férias. Enquanto presidente da Associação Portuguesa do Direito do Consumo, Mário Frota considera a siatuação condenável e teme que os consumidores sejam os mais penalizados, uma vez que as entidades de regulação não cumprem o que lhes é devido por lei. 
 






No Alvorada de hoje foi ainda abordada a manifestação dos utentes do Centro de Saúde da Fernão Magalhães, realizada ontem. Os utentos reclamam obras no edifício degradado e relembram que as promessas de intervenção surgem sempre em épocas eleitorais. 

Como é habitual às sextas houve tempo para a rubrica “Upstart”, da autoria de Raquel Marques. O comentário à atualidade do Alvorada de hoje pode ser ouvido na íntegra aqui.

Ana Morais
 (...)

Sem comentários: