[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Operadoras optam pela rescisão sem custos. Não há reposição de preços

  
TELECOMUNICAÇÕES
 
por: Ana Marcela 
 
09.08.2017
 
 
Comunicação aos clientes apanha muitos em férias e não fazem referência a eventual reembolso 
 
 
As operadoras já estão a informar os clientes que a única opção que têm é rescindir os contratos sem penalizações. Nos, Meo e Vodafone deixaram cair a possibilidade de repor os preços antes do aumento dos contratos, uma das medidas corretivas previstas pela Anacom. Nos e Meo já avisaram os clientes , a Vodafone começa a contactá-los “no final desta semana início da próxima”. Até ao fecho de edição não foi possível obter um comentário da Nowo. Prazos para rescisão apanham clientes em período de férias e não fazem referência a reembolso. 
 
A Anacom considerou que os operadores não cumpriram com as regras definidas na nova Lei das Comunicações Eletrónicas, quando procederam a alterações contratuais, entre as quais aumento de preços. Deviam ter informado os clientes que podiam rescindir sem custos, mesmo estando ligados ao operador por um período de fidelização. O regulador deu assim uma de duas medidas corretivas às operadoras: ou repunham os preços antes dos aumentos ou davam ao cliente a possibilidade de rescindir os contratos sem penalizações.
 
Leia ainda: Subida “ilegal” de preços das operadoras custou 50 milhões aos clientes 

Meo, Nos e Vodafone, os três maiores operadores nacionais, escolheram dar aos clientes a opção de rescindir sem custos. Na comunicação por email enviada a 4 de agosto, a que o Dinheiro Vivo teve acesso, a Nos dá aos clientes até 19 de agosto “para poder rescindir o seu contrato sem qualquer encargo, caso não aceite as referidas alterações contratuais”. E mais, alerta, “a rescisão do contrato não impede que lhe sejam cobradas contrapartidas pelo desbloqueio do equipamento nos termos previstos no Decreto-Lei n.º 56/2010, de 1 de junho”. O Meo, o operador controlado pela Altice, dá um prazo mais alargado: 25 de agosto.
(...)

Sem comentários: