[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Piscinas: saiba como evitar as infeções nos pés

14.Ago.2017
Dicas
Imagem Desdobramento

Os balneários das piscinas são sítios quentes, húmidos e, habitualmente, sem luz solar. Por isso continuam a ser um ambiente de risco para doenças podológicas como dermatomicoses, onicomicoses e verrugas. Nesta altura do ano, em que o bom tempo convida a dar um mergulho, Carla Ferreira, podologista do Hospital Lusíadas Porto, partilha algumas dicas para evitar que estas infeções ataquem.
“Os balneários são sítios frequentados por um grande número de pessoas”, onde todos se calçam e descalçam, e é sabido que “o ambiente quente, húmido e escuro favorece o crescimento e reprodução de microrganismos, como os fungos que são responsáveis pelas micoses”, começa por explicar a podologista. 

As onicomicoses (micoses nas unhas) e as dermatomicoses (micoses na pele) afetam cerca de 70% da população pelo menos uma vez na vida. Alguns comportamentos de risco como caminhar sobre as superfícies húmidas das piscinas, tomar banhos em chuveiros públicos descalço ou permanecer descalço em água parada, aumentam o risco de contrair estas doenças. Para diminuir a possibilidade de contrair uma infeção no balneário ou na própria piscina, Carla Ferreira recomenda: 

• Usar sempre chinelos quando frequentar um balneário ou outro sítio público;
• Nunca andar descalço perto da piscina, nem mesmo quando a ideia é só sair da toalha para dar um mergulho. Nesse caso, deve levar os chinelos até mesmo à beira da água;
• Não trocar de sapatos com outra pessoa;
• Mudar de meias e de sapatos diariamente para os deixar “arejar”;
• Usar meias com a maior percentagem de algodão possível;
• Lavar todos os dias os pés, de preferência com sabão neutro;
• Secar cuidadosamente os pés, sem esquecer as zonas entre os dedos;
• Não cortar as cutículas das unhas dos pés;
• Observar com regularidade e atenção ao estado dos pés e estar a atento a qualquer alteração, nomeadamente nas unhas;

E porque como em quase todas as questões de saúde, também no que diz respeito aos pés, prevenir é o melhor conselho, a podologista aconselha-o a consultar um especialista aos primeiros sinais de alteração na pele e/ou unhas dos pés.Consulte mais informações sobre esta temática no artigo original disponível, aqui. (...)

Sem comentários: