[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Queixas por atividade financeira ilegal quase triplicam



O Banco de Portugal fez queixa de 88 pessoas ou entidades por práticas financeiras ilegais, como a concessão de empréstimos através da Internet.
As queixas do Banco de Portugal por atividade financeira ilegal quase triplicaram no último ano. Em 2016, o regulador da banca fez 15 comunicações ao Ministério Público por práticas ilegais cometidas por 88 pessoas ou entidades; em 2015, só 28 entidades tinham sido envolvidas nestas queixas. Os dados são avançados, esta terça-feira, pelo Público (acesso condicionado).

Em causa estão atividades com fortes indícios criminais, como concessão de empréstimos ou captação de poupanças junto de particulares. No ano passado, detalha o Público, houve um aumento da oferta de empréstimos ou outros serviços financeiros pela Internet ou por telefone. A prática, cometida muitas vezes através das redes sociais, de anúncios nos jornais ou de publicidade nas caixas de correio, afeta sobretudo consumidores endividados e com conhecimentos financeiros reduzidos, que procuram empréstimos concedidos rapidamente.

Banco de Portugal quer maior proteção nos depósitos
 
(...)

Sem comentários: