[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Exportações de alimentos congelados aumentaram 14%

Mantém-se o crescimento das exportações de alimentos congelados. No ano passado, somaram 567 milhões de euros, mais 14% face ao ano anterior, segundo o estudo Setores “Alimentos Congelados” publicado pela Informa D&B.

O volume de negócios no setor de alimentos congelados tem mantido nos últimos anos uma tendência de crescimento, associada ao “notável dinamismo” das vendas para o exterior. A conclusão é da Informa D&B e consta do seu mais recente estudo sectorial “Alimentos Congelados”, onde dá conta que, no ano 2016, as exportações atingiram 567 milhões de euros,  mais 13,6% do que em 2015 e uma variação média anual de cerca de 17% com referência aos 305 milhões registados em 2012. 

Segundo a Informa D&B, “Espanha mantém-se como o mercado externo mais importante para as empresas do setor, assumindo uma quota sobre as exportações totais de 48% em 2016”. Nesse ano, as vendas portuguesas em Espanha cresceram 9,1%, alcançando 273 milhões de euros, quase o dobro face a 2012.

Já as importações totalizaram os 936 milhões de euros, mais 4% face a 2015, com a taxa de cobertura do comércio externo a fixar-se nos 60,6%. 

De acordo com este estudo, no setor de alimentos congelados predominam as empresas de pequena dimensão, de modo que só 27 tinham em 2015 um quadro de pessoal superior a 50 trabalhadores e unicamente três empregavam mais de 250 pessoas.

Os distritos de Lisboa, Porto, Braga, Leiria e Viseu reúnem grande parte das principais empresas do setor. Se se considerarem às 40 maiores em termos de receitas totais, 60% delas estão sediadas em algum destes cinco distritos.

 

Sem comentários: