[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Famílias portuguesas nunca pouparam tão pouco nos últimos 18 anos


As famílias portuguesas nunca pouparam tão pouco, tendo poupado apenas 3,8% do seu rendimento disponível no ano terminado em março, o valor mais baixo dos últimos 18 anos.
Os dados são compilados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) desde 1999, tendo reportado que a taxa de poupança voltou a cair nos 12 meses concluídos no final do primeiro trimestre deste ano, ficando nos 3,8%, “menos 0,5 pontos percentuais do que no trimestre anterior”, somando assim três trimestres consecutivos de queda.

Isto acontece apesar de o rendimento das famílias estar a crescer e deve-se ao facto de se registar “uma variação mais intensa na despesa de consumo final do que no rendimento disponível”.

Quando o INE começou a compilar estes dados, no último trimestre de 1999, as famílias poupavam 11,4% do seu rendimento disponível, ficando a taxa de poupança nos dois anos seguintes em torno dos 10% a 11% e atingindo o valor máximo de toda a série (de 12%) no ano terminado no terceiro trimestre de 2002.

A poupança dos particulares caiu pela primeira vez abaixo dos dois dígitos nos 12 meses concluídos no primeiro trimestre de 2004, tendo a partir daí permanecido quase sempre abaixo dos 10% do rendimento disponível e acentuado o ritmo de queda a partir de 2009.

(...)

Sem comentários: