[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Investimento caiu um terço, apesar de subir em 78 câmaras



AUTARQUIAS
 
 
por: João D'Espiney
 
 29.09.2017
 


Despesas com a aquisição de bens de capital totalizou 1053,6 milhões de euros em 2016, menos 549,6 milhões (34,2%) do que em 2013.
 
Câmara de Lisboa foi a que mais investiu nos últimos anos.
Foto: DR
 
 O investimento das autarquias, a aquisição de bens de capital, somou 1053,6 milhões de euros em 2016, uma quebra de 549,6 milhões (34,2%) em relação a 2013, ano das últimas eleições autárquicas. Ainda assim, o investimento aumentou em 78 câmaras municipais.
 
Estas são algumas das principais conclusões da análise do DN/Dinheiro Vivo aos dados publicados no Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses de 2016, publicado pela Ordem dos Contabilistas Certificados.
 
“O investimento municipal, na sua globalidade, embora tenha vindo a decrescer sucessivamente desde 2010, apresentou a maior quebra em 2014, em termos absolutos e relativos, com uma diminuição de valor de 456,9 milhões (-28,6%). Em 2016, a descida também foi significativa, baixando o investimento direto dos municípios em 122,3 milhões (-10,4%)”, salientam os autores do anuário, coordenado por João Carvalho, professor universitário e presidente do colégio de contabilidade pública desta Ordem.
 
 Falta de informação 
 
Numa nota publicada neste capítulo, os autores explicam que “dada a profusão de empresas municipais que executam, por delegação de competências, investimentos em substituição dos municípios e, ainda o facto de existirem juntas de freguesia às quais foram, também, delegadas competências para executar investimentos da responsabilidade dos municípios, tem-se entendido que a real dimensão do investimento direto dos municípios resultaria da soma do valor das transferências de capitais com as despesas de investimento”.
 
 (...)

Sem comentários: