[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

90% dos casos de AVC associados a fatores de risco evitáveis, alertam médicos



O AVC é a doença vascular cerebral mais suscetível de ser prevenida e que, na maior parte dos casos (90%), a doença está relacionada com fatores de risco modificáveis e por isso poderiam ser evitados, alertam os especialistas da Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral (SPAVC). 
 
créditos: DR
 
"Pequenos gestos, como adotar uma alimentação saudável, praticar exercício físico com regularidade, controlar os valores da pressão arterial, o peso corporal e a diabetes, reduzir o colesterol, detetar e tratar a fibrilhação auricular, não fumar e ainda moderar o consumo de bebidas alcoólicas, podem fazer a diferença no combate ao AVC", avança a SPAVC.

Por hora, três portugueses sofrem um AVC, um dos quais resulta em morte. Dos restantes, metade ficará com sequelas incapacitantes. O AVC continua a ser a principal causa de morte e incapacidade no nosso país. "O AVC é tratável e deve ser encarado como uma emergência", alerta o médico José Castro Lopes, presidente da SPAVC.

"A Via Verde do AVC (ativada através de chamada para o 112) está organizada em Portugal para encaminhar os doentes rapidamente para os hospitais capazes de fornecer os tratamentos adequados. Mas para que o tratamento tenha sucesso, o tempo é fundamental", acrescenta.

O presidente da SPAVC explica que "existe uma "janela terapêutica" para o tratamento do AVC, ou seja, um momento ótimo para intervir no sentido de minimizar os danos no sistema nervoso central. Esta janela terapêutica, na maioria das vezes, tem uma duração de poucas horas, o que determina a necessidade de rapidez no atendimento às pessoas com um AVC agudo", salienta.

Como acontece um AVC?
(...)

Sem comentários: