[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Andamos a comer assim tanto sal? Os rótulos não enganam, mas há surpresas

 por: Beatriz Dias Coelho
 23/10/2017
 
O governo anunciou uma nova taxa sobre batatas fritas, bolachas e cereais de pequeno-almoço. Será cobrada sempre que ultrapassem um grama de sal por 100 gramas de produto e o objetivo é reduzir o consumo de sal pela população. O i pôs-se em campo e foi analisar rótulos. Conclusão? Há batatas fritas que não vão ser taxadas e as marcas brancas parecem ser a opção mais saudável em alguns produtos.

 
 
 


 



shutterstock
 
Batatas fritas

As batatas fritas dão nome ao imposto anunciado pelo governo e são várias as conclusões que se pode tirar numa ida ao supermercado. Por um lado, constata-se que nem todas as batatas fritas vão ser taxadas. Isto porque há pacotes à venda que têm menos de um grama de sal por 100 gramas de produto. Ainda assim, uma ronda pelas prateleiras permite descobrir algumas pistas para encontrar pacotes com menos de sal.

Os três produtos de marca que o i analisou apresentam teor de sal superior a um grama em cada 100 gramas de produto, com valores nos 1,3, 1,5 e 1,7 gramas. Já entre os três produtos de marca branca, por sua vez, só um apresenta valores acima de 1 grama – 1,1 –, enquanto os dois restantes se ficam por 1 grama de sal em cada 100 gramas de produto. Assim, parece que os pacotes de marca branca tendem a ter menos sal, mas o melhor é sempre confirmar. Batatas fritas em azeite, que aparentemente são mais saudáveis, pode não quer dizer nada no que ao teor de sal diz respeito. O i verificou por exemplo que batatas “gourmet” tendem a ter mais sal do que outras que parecem mais básicas.

Bolachas
(...)

Sem comentários: