[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

A nascente do rio Douro secou

 
   
12-11-2017
A seca extrema que está a assolar a zona do rio Douro 
preocupa em Portugal e em Espanha, 
onde não há memória de tão severa falta de água
Reportagem
Eduardo Pinto

Coordenação editorial
Miguel Conde Coutinho

Seca extrema

O sítio exato onde nasce o rio Douro, nos Picos de Urbíon, território de Duruelo de la Sierra, na província de Sória, Espanha, secou. 
Vídeo: DR

Esse local está a 2.160 metros de altitude e, baixando a serra, praticamente não se vê água até à cota dos 1.900 metros. 

A culpa é da falta de chuva e da seca extrema que também afeta o país vizinho.



A pior em 75 anos
Curiosamente, quando o JN chegou a Duruelo de la Sierra, cerca das 16 horas da passada quarta-feira, estava a começar a nevar e assim continuou durante umas horas. 

O presidente do Ayuntamiento, Alberto Abad, ficou satisfeito por ver cair alguma precipitação e os primeiros metros do rio a ganhar novamente algum caudal.

Na povoação, com pouco mais de 1100 habitantes, Benigno Rúbio confessou ao JN que em 75 anos de vida nunca viu outra situação de seca tão grave.
“Normalmente teríamos, por esta altura, meio metro de neve. E, no entanto, já há dois anos que quase nem a vemos. Se o tempo continua assim não sei se o rio Douro vai continuar a chegar a Portugal”, contou.

Já o padre Joaquim García, pároco de Duruelo de la Sierra, salienta que há que rezar a ver se a chuva e a neve começam a cair com abundância. Perante este cenário, diz, não há muito mais a fazer a não ser “rezar a ver se Deus manda bom tempo, que, neste caso, significa chuva com abundância”.

E Maria Ángeles Altelarrea, de Duruelo, que gosta tanto de cogumelos, começa a temer que talvez não vá, sequer, prová-los. “Eles têm um período certo para aparecer. Se não vieram antes, duvido que agora consigamos colher as tão deliciosas ‘setas’”.

(...)

Sem comentários: