[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

A necessidade de eliminar o desperdício na Saúde

Segundo as noticias que têm vindo a público, a proposta de orçamento do Estado para 2018 contempla 10.289 milhões de Euros para a Saúde, mais 2,4% face à despesa real estimada para 2017.

Chip East / Reuters
 
Não obstante uma maior dotação orçamental, há a consciência, nas palavras do Ministro da Saúde, de que é necessário racionalizar e premiar as boas práticas. Apesar de uma maior dotação orçamental, é certo e sabido que continua a não chegar para fazer face às necessidades do SNS.

Sobre os sistemas de saúde em todo o mundo é afirmado que sofrem todos de ineficiências. Não há dúvida que o sistema de saúde em Portugal não é exceção.

Diferentes estudos sobre vários sistemas de saúde apontam para montantes elevados de desperdício na ordem dos 20% a 40% dos custos. Já em 2011, no relatório do Grupo Técnico para a Reforma Hospitalar, se estimava a possibilidade de reduzir os custos do SNS em 10%. Mais recentemente, um relatório da OCDE de 2017 apresentado em Londres aborda especificamente o desperdício na saúde.

(...)

Sem comentários: