[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Centro de Portugal continua a crescer como destino turístico

Pedro Machado, presidente do Turismo da Região Centro, referiu em Macau que o Centro continua a crescer como destino turístico e a previsão aponta que será entre 16 e 17% este ano e de dois dígitos em 2018.


Apesar do flagelo dos incêndios que devastou algumas regiões do Centro do país, Pedro Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal, revelou em conferência de imprensa durante o 43º congresso nacional da APAVT – Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo que decorre até amanhã, em Macau, que o Centro continua a crescer como destino turístico e a previsão aponta que será entre 16 e 17% este ano e “certamente de dois dígitos em 2018”.

Para o responsável a região é muito vasta e os produtos muito diversificados e não são as 1000 camas que ficaram destruídas durante os fogos que irão diminuir o interesse e a procura pela região, sobretudo quando existem cerca de 45 mil camas de oferta.

“O Centro de Portugal foi fustigado em todas as áreas mas queremos afirmar que ainda temos infraestruturas, produtos, marcas que estão em perfeitas condições e que podem continuar a ser um destino privilegiado para o turismo, até porque temos um turismo de qualidade e não massificado”, adiantou. Pedro Machado admite mesmo que o Centro está a reerguer-se e a reabilitar-se.

Para isso, o responsável adianta que existem planos estratégicos para ultrapassar rapidamente os efeitos destrutivos dos incêndios, nomeadamente a reposição das infraestruturas atingidas, através de linhas de apoio, seja de tesouraria bem como de requalificação. Outra das estratégias passa por reforçar a diversidade dos produtos. “Não devemos esquecer que o Centro tem uma diversidade de produtos, alguns muitos fortes, nomeadamente o turismo religioso, o de atividades desportivas, sejam de mar e de serra”, adiantou.
(...)

Sem comentários: