[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Fim da sobretaxa leva salário líquido para o valor mais elevado desde 2011

Rendimento médio no país aumentou 2,5% no terceiro trimestre do ano, fixando-se em 861 euros. Período coincidiu com o fim da sobretaxa no terceiro escalão do IRS.


O rendimento salarial líquido médio em Portugal atingiu 861 euros no terceiro trimestre deste ano, um aumento de 2,5% em termos homólogos. Segundo dados atualizados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), referentes aos trabalhadores por conta de outrem, este é o valor mais elevado desde 2011, ano em que começou a série estatística do organismo.

O salário líquido está a aumentar no país desde o final de 2014, mas acelerou desde o início deste ano, com a extinção faseada da sobretaxa de IRS. O terceiro trimestre coincidiu o período em que os contribuintes do terceiro escalão deixaram de pagar aquela tributação. A partir de julho, quem recebe entre 20.261 e 40.522 euros anuais deixou de fazer retenção na fonte da sobretaxa, pelo que o salário líquido aumentou.

Os contribuintes do primeiro e segundo escalões já tinham sentido o alívio antes. Com o Orçamento do Estado para 2017 (OE2017), ficou definido um fim faseado da sobretaxa de IRS para os contribuintes entre o segundo e o quinto escalões de rendimento – uma vez que no ano passado os contribuintes do primeiro escalão já tinham deixado de pagar. Em janeiro, os contribuintes do segundo escalão de IRS, com rendimentos entre os 7.091 e os 20.261 euros anuais, deixaram de pagar a sobretaxa.

Os contribuintes do quarto escalão (entre 40.522 e 80.640 euros) ainda vão pagar sobretaxa até novembro de 2017, tal como os contribuintes do quinto escalão (acima de 80.640 euros).

(...)

Sem comentários: