[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Fundação Portuguesa do Pulmão alerta: deixe de fumar

Opinião

 
por: José Alves
 
presidente da Fundação Portuguesa do Pulmão (FPP)

 
 
 
 
A doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) é uma doença que deteriora a função pulmonar, particularmente a capacidade de inalar e expelir o ar que respiramos. Para ser mais preciso, diminui a capacidade de expirar. Os portadores desta afeção expiram mais devagar. Nas fases iniciais, os doentes não notam mas, à medida que a doença progride, sentem falta de ar a subir rampas, a caminhar em plano e, finalmente, ficam incapazes de oxigenar o sangue em repouso. Estas alterações são irreversíveis e progressivas, por isso, o diagnóstico deve ser o mais precoce possível, de maneira a evitar a evolução para as fases mais graves.
A DPOC tem um fator de risco: o tabaco. 90% dos doentes são fumadores, 20% dos fumadores de um maço por dia desenvolvem a doença, enquanto o mesmo acontece a 40% dos fumadores de dois maços por dia. Com a continuação do hábito tabágico e sem medicação, a doença evolui para a insuficiência respiratória (necessidade de oxigénio adicional ao ar respirado) e para a morte. É atualmente a quarta causa de morte nos países desenvolvidos e, em 2020, será a terceira, só suplantada pelas doenças cerebrovasculares (primeira) e cardiovasculares (segunda), também estas ligadas ao consumo do tabaco.

Sendo assim, os cuidados a ter são simples, ou melhor, é simples: não fumar. Parar de fumar é a atitude mais inteligente e com melhores resultados, quer em termos de qualidade de vida, quer em termos de esperança de vida. Penso que a maioria da população e dos fumadores estão conscientes desse facto. Porque continuam a fumar? Pela dependência da nicotina, quer pela dependência física, quer pela dependência psicológica.

A Fundação Portuguesa do Pulmão (FPP) está a desenvolver uma campanha que pretende alertar os doentes com DPOC o mais precocemente possível. Assim, se for fumador deve procurar o seu médico, fazer uma espirometria (exame que mede a capacidade respiratória), particularmente de sentir falta de ar ou tiver tosse e ou expetoração crónica. As pessoas informadas pensam a DPOC como uma doença de velhos, a FPP quer que se pense a doença como o que ela é: uma doença de fumadores, independentemente da idade e do tempo à que fumam. A FPP quer que a população portuguesa tenha a menor prevalência de DPOC grave e de fumadores. Precisamos da ajuda de todos. Ajude-nos também.

Sem comentários: