[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Glifosato: eurodeputados querem proibição do herbicida em 2022






Renovação da licença: de 15 para cinco anos

Em 2016, a Comissão Europeia propôs a reautorização da licença do glifosato para 15 anos. No entanto, devido à relutância de vários países, viu-se obrigada a reduzir o período de renovação para dez anos, numa primeira fase, e finalmente para cinco anos, até encontrar a maioria necessária entre os Estados-Membros.

No entanto, a redução da renovação da licença para cinco anos ainda não vai suficientemente longe para o Parlamento Europeu. Em outubro de 2017, os eurodeputados defenderam a proibição completa de herbicidas à base de glifosato em dezembro de 2022 e restrições imediatas ao uso da substância. 

Apesar do glifosato ser o herbicida mais utilizado no mundo, existem preocupações sobre o seu impacto na saúde dos seres humanos. "Pedimos a eliminação gradual até o ano 2022 e uma proibição imediata para uso não-profissional", afirma a eurodeputada Miriam Dalli (S&D, Malta)."Gostaria que a Comissão examinasse os efeitos adversos do composto que não foram avaliados até agora", insistiu Pavel Poc (S&D, República Checa), um dos deputados responsáveis ​​pela elaboração da resolução que pede a proibição.

1,3 milhões de assinaturas a favor da proibição

As preocupações eurodeputados sobre o potencial impacto do glifosato na saúde são partilhadas por muitos europeus. Mais de um milhão e trezentas mil pessoas assinaram uma iniciativa de cidadania europeia que pede a proibição do herbicida.
(...)

Sem comentários: