[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Ao anoitecer olhe para cima. Hoje há chuva de estrelas

Quarta-Feira - 13 de dezembro de 2017
Fundado em 29 de dezembro de 1864

Uma das maiores chuvas de meteoros, a par das Perseidas, pode ser observada na noite de 13 para 14 de dezembro
Na noite de 13 para 14 de dezembro, o mundo tem a oportunidade de assistir a uma das maiores chuvas de meteoros a par das Perseidas, ainda que esta seja menos conhecida por ocorrer no outono, estação em que as condições da meteorologia são mais adversas à observação.

Falamos da chuva de meteoros das Gemínidas, que acontece porque o Terra está "atualmente a cruzar a órbita do asteroide Faetonte", explica o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL). "Os detritos deixados por este asteroide são os responsáveis pelo enxame de meteoros que decorre anualmente entre 4 e 17 de dezembro: o enxame das Gemínidas, assim chamado porque os traços das suas 'estrelas cadentes' nos parecem sair dum ponto da constelação dos Gémeos".

As Gemínidas têm ainda outra particularidade: são causadas pela travessia dos detritos de um asteroide e não de um cometa.

Segundo o OAL, a constelação de gémeos começará a aparecer no horizonte nordeste pelas 19:00, hora de Lisboa, e o facto de a noite de hoje ser "uma noite sem Lua" torna-a favorável às observações. "A Lua nasce pelas 4:00 mas terá apenas 10% do seu brilho máximo pois está a aproximar-se da fase de Lua nova".
(...)

Sem comentários: