[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

ASAE apreende vinhos falsificados

27 dezembro 2017, quarta-feira
 

ASAE apreende vinhos falsificados

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, através da sua Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal, tem vindo a desenvolver investigações, ao longo do presente ano, atentas à autenticidade de garrafas de vinho «BARCA VELHA» (Sogrape) e «PÊRA MANCA» (Fundação Eugénio de Almeida) que se encontram em comércio e circulação no mercado nacional.

Estas investigações estiveram direcionadas para os crimes de Fraudes sobre Mercadorias, Venda e Circulação de artigos Contrafeitos e Usurpação de Denominação de Origem.

A ASAE detetou várias garrafas destes vinhos premium portugueses falsificados, sendo vendidos como autênticos, em locais diversos tais como leilões online, ofertas diretas online e ainda em garrafeiras, em Lisboa e Leiria.

As investigações agora desencadeadas (tendo algumas sido iniciadas em ambiente online) detetaram também falsificações de «BARCA VELHA» dos anos de 2000 e 2004 [valor médio de venda no mercado de € 600 a unidade], bem como, estas falsificações abrangem agora colheitas mais antigas (no caso em concreto, de 1981 e 1985, com um valor médio de venda no mercado de €400 a unidade) que, pelo natural decurso do tempo, armazenamento e a esperável degradação dos rótulos, dificultam a distinção, para o consumidor, entre garrafas genuínas e falsificadas.

Foram apreendidas 16 garrafas de «BARCA VELHA» das colheitas de 1981, 1985, 2000 e 2004 e ainda 2 garrafas de «PÊRA MANCA» de 2008, que, no total, poderiam valer cerca de €10.000 no mercado de vinhos.

Foram já identificados vários suspeitos, entre vendedores e fornecedores.

A ASAE adverte que, pelo valor unitário destes produtos e pelo aumento da sua exposição às falsificações, face à procura crescente, os consumidores devem reduzir os riscos nas suas compras, solicitando, por exemplo, a consulta da respetiva fatura de aquisição (para averiguar a sua proveniência) e aumentando a precaução nas compras online. 

in webpage "Tecnoalimentar"

1 comentário: