[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Estudo revela dois vegetais que podem ajudar ex-fumadores a restaurar pulmões

27 Dez 2017 11:42 
SAPO

Uma investigação científica publicada na revista “European Respiratory Journal” demonstrou que ter uma alimentação rica em maçãs e tomates pode ajudar a reparar os danos provocados pelo tabaco em pulmões de ex-fumadores. 

 

O estudo conduzido por investigadores da Universidade John Hopkins, nos Estados Unidos, indica que o consumo regular de tomates pode desacelerar a degradação natural da função pulmonar em todos os adultos e em particular nos ex-fumadores.

Os investigadores analisaram a alimentação e a função pulmonar de mais de 650 adultos da Alemanha, Reino Unido e Noruega, em 2002, e repetiram os mesmos testes nos participantes 10 anos depois. Os voluntários do estudo responderam a questionários e foram ainda submetidos a espirometrias, um exame médico que mede a capacidade dos pulmões em absorver oxigénio. Fatores como a idade, sexo, altura, atividade física, entre outros, também foram tidos em consideração.

Nos ex-fumadores, a ligação entre a alimentação e a função pulmonar foi mais evidente: os ex-fumadores que tinham uma alimentação rica em tomate e maçã demonstraram uma menor deterioração da função pulmonar ao longo dos 10 anos.

Com isto, os cientistas concluíram que os nutrientes na alimentação deste grupo tinham ajudado a reparar os danos causados pelo fumo do tabaco.

A equipa apurou que os adultos que consumiam uma média de mais de dois tomates e mais de três porções de fruta diariamente demonstravam uma degradação mais lenta da função pulmonar em comparação com os adultos que consumiam menos de um tomate e menos de uma porção de fruta por dia.


"O nosso estudo sugere que consumir mais fruta regularmente pode ajudar a atenuar o declínio à medida que as pessoas envelhecem, e pode mesmo ajudar a reparar os danos causados por fumar. A alimentação pode tornar-se uma forma de combater o aumento dos diagnósticos de DPOC [doença pulmonar obstrutiva crónica] no mundo", comentou Vanessa Garcia-Larsen, um das autoras do estudo, num comentário apenso ao mesmo.

O estudo conclui ainda que outras fontes de fruta e produtos hortícolas, como molhos ou comida processada, não demonstraram exercer os mesmos efeitos protetores.

Sem comentários: