[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Mulher que sente o cheiro do Parkinson está a ajudar a ciência a detetar a doença

A escocesa Joy Milne, de 57 anos, faz parte de um grupo seleto da população que possui uma capacidade fora do normal: um olfato extremamente apurado que lhe permite identificar cheiros incomuns. 
 

O olfato poderoso de Joy Milne pode ajudar a salvar milhares de pessoas da doença de Parkinson, uma patologia neurodegenerativa que afeta o sistema nervoso central e que pode causar tremores, rigidez dos músculos, dificuldade em manter o equilíbrio, lentidão dos movimentos voluntários e morte.

Com um nariz bastante apurado, esta escocesa é capaz de sentir o cheiro do Parkinson. O marido dela, Les, foi diagnosticado com a doença quando tinha 45 anos. Mas Joy percebeu que havia algo errado dez anos antes.

"O meu marido era médico e eu enfermeira. Sentia um cheiro estranho quando ele estava por perto. E isso causava um pouco de atrito, porque eu dizia que ele não estava a lavar bem os dentes, que não tomava banho... Ele começou a ficar chateado e eu tive de passar a estar calada", recorda.

Já depois do diagnóstico, o casal foi a um encontro de doentes com Parkinson e Joy Milne percebeu que todas as outras pessoas tinham o mesmo cheiro que o marido. "O meu nariz só pensou: Uau!", diz.
(...)

Sem comentários: