[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Produtos alimentares para bebés retirados por suspeitas de contaminação em França

Mundo

O fabricante de leite para bebé Lactalis e as autoridades francesas ordenaram a retirada total de milhões de produtos por receios de contaminação com a bactéria salmonela, noticiam hoje as agências de notícias internacionais.

 Foto: Lactalis

A empresa está presente em Portugal e, contactada pela agência Lusa, respondeu apenas que a administração está fora em reunião.

A Lusa contactou igualmente a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, que remeteu para Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE), da qual se aguarda resposta.

Segundo a agência Associated Press (AP), a empresa, uma das maiores do mundo neste segmento, disse ter sido avisada pelas autoridades de saúde em França de que 21 crianças tinham ficado doentes desde o dia 1 de dezembro.

A France Presse (AFP) noticia por sua vez que o governo francês anunciou no domingo a retirada massiva de leites infantis fabricados pelo grupo Lactalis, destinados a França e a mercados estrangeiros, devido a um risco de contaminação por salmonelas.

De acordo com a lista publicada pelas autoridades francesas, a recolha afeta consumidores em vários países, incluindo a Inglaterra, Grécia, Marrocos, África do Sul, Peru e Colômbia, Paquistão, Bangladesh e China. Os Estados Unidos, o maior mercado da Lactalis, não são afetados, segundo a AP.

Estão também incluídos Argélia, Taiwan, Roménia e Geórgia, acrescenta a AFP.

O porta-voz da companhia Michel Nalet disse hoje à AP que a recolha "preventiva" recai sobre milhões de produtos feitos desde meados de fevereiro.

A retirada "abrange cerca de sete mil toneladas de produtos fabricados" e potencialmente contaminados, afirmou a mesma fonte à AFP.

As salmonelas causam intoxicações alimentares, além de gastroenterite benigna e outras infeções mais graves.

São particularmente perigosas em crianças pequenas, pessoas idosas ou com sistema imunitário débil.

Sem comentários: