[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Tarifa regulada da eletricidade não vai ter flutuações ao longo do ano

TSF 
29 de DEZEMBRO de 2017

O secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, garante na TSF que a descida de 0,2% na tarifa regulada da eletricidade não vai ter flutuações ao longo de 2018.

Apesar do aumento dos custos de produção de eletricidade em virtude da seca e do recurso às centrais termoelétricas em vez da hidroelétrica das barragens, Jorge Seguro Sanches adianta que apesar desta realidade a tarifa regulada, que é a Tarifa determinada plea Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) vai ser a mesma ao longo de todo o ano de 2018.

"Eu sei que estamos a viver um período de seca que tem induzido algum aumento de custos na produção da energia em Portugal. Eu sei isso e é algo que nós temos estado a acompanhar de qualquer forma aquilo que eu conheço e que foi visto pelo regulador (ERSE) já prevê um ano crítico em termos de existência de pouca água nas nossas barragens. De qualquer forma aquilo que eu prevejo é que não haja qualquer mudança na diminuição do preço da energia em 0,2% e isto acontece 18 anos depois de ter havido a última descida de preços", adianta Jorge Seguro Sanches.

Uma tarifa regulada que este ano vai ter uma redução de custos na ordem dos 0,2% e para Jorge Seguro Sanches esta redução de custos não vai mexer no défice tarifário ao contrário do que afirma a EDP.

 "A questão de colocar em cima da mesa o problema da dívida tarifária, é uma forma pouca séria de abordar o problema porque aquilo que está a ser feito é precisamente o contrário: Não vai haver é mais dinheiro para ser dado em subsídios e em rendas ao setor. Aquilo que vai estar disponível vai ser para que o setor funcione de uma forma mais transparente e mais amiga dos consumidores", explica.

 O défice tarifário em 2018 ronda os 3 milhões e meio de euros, menos 700 milhões do que no final deste ano. Entretanto, face ao anuncio da EDP comercial que ontem revelou um aumento médio das tarifas do mercado liberalizado na ordem dos 2,5%, o secretário de Estado da Energia aconselha os consumidores a estarem atentos: "A discussão que se está a fazer em Portugal sobre o preço da energia tem uma grande vantagem que é os consumidores saberem que não têm apenas uma alternativa; podem voltar ao mercado regulado onde serão protegidos pelo preço fixado pelo regulador ou podem escolher uma das outras empresas" para terem o melhor preço.

Existem no mercado mais de 250 tarifários que podem ser consultados e comparados no portal poupa energia.

Sem comentários: