[ Director: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano X

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Bitcoin já paga perfumes, hotéis e até advogados em Portugal



Criptomoedas estão a entrar aos poucos no quotidiano dos portugueses. O ECO foi às compras com bitcoin. E conseguimos comprar perfumes, malas e bicicletas, reservar hotéis e até contratar advogados.

No primeiro dia em que a Casa Campos, em Sátão, passou a aceitar moeda digital como meio de pagamento, esta segunda-feira, o filho do dono desta loja de moda vendeu um perfume pelo preço de 22 euros. Mas, ao contrário do que acontece habitualmente, o cliente nem teve de ir ao bolso procurar as notas e moedas para efetuar a compra. Pegou no seu smartphone e, a partir da sua carteira digital instalada no telemóvel, transferiu Ripple na mesma quantidade dos euros do perfume para a carteira digital do lojista Fábio Campos. E a transação ficou selada. Ao balcão. Virtualmente.

Com a euforia em torno das criptomoedas, são cada vez mais as lojas e serviços em Portugal que estão a aceitar moeda digital como a Ripple ou a bitcoin enquanto moeda de troca. É o caso também da advogada Filipa Correias Vilas, em Lisboa, do hotel Molinum, em Albufeira, ou da loja de bicicletas Velo Culture, no Porto, que tentam atualizar o seu negócio perante a revolução prometida pela blockchain no sistema de pagamentos em todo o mundo.
Na Casa Campos, não é preciso sequer entrar na loja para perceber que podemos ir às compras e pagar com moedas digitais. Quem passa na rua facilmente repara nas placas colocadas estrategicamente na montra e que indicam que o estabelecimento permite transações com bitcoin, litecoin e ethereum.
(...)

Sem comentários: