[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Reciclados ou incinerados? Associação acusa Governo de manipular dados

Ouvir Emissão
 
 
 
Paulino Coelho

16.Jan.2018

Associação Zero fala de uma “situação inacreditável”, que acredita resultar de uma instrução a “nível político”.
Foto: António Cotrim/Lusa
Foto: António Cotrim/Lusa
Veja também:


O Ministério do Ambiente contabilizou como recicladas quase 270 mil toneladas de resíduos que, afinal, foram enviadas para aterro ou incineração. A denúncia é feita pelos ambientalistas da Zero, depois de ter cruzado a informação da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e do Sistema de Gestão de Resíduos Urbanos (SGRU) relativos a 2016 com o que consta no Relatório de Estado do Ambiente 2017. 

“Não é aceitável que depois de 20 anos de política de resíduos em Portugal, voltemos atrás e estejamos a martelar os números. É uma coisa perfeitamente inacreditável”, disse à Renascença o ambientalista Rui Berkemeier. 

Em comunicado, a Zero explica que, face à discrepância, “analisou individualmente os dados de cada SGRU”, verificando que as 268.709 toneladas que a Agência do Ambiente considera como recicladas foram enviadas para aterro ou incineração. 

Por isso, esses resíduos pagaram Taxa de Gestão de Resíduos ao Ministério do Ambiente, que, ao contabilizar as mesmas toneladas como recicladas, obteve um duplo benefício: recebeu a taxa (que “rondará os 1,7 milhões de euros”) e apresentou um melhor desempenho ambiental. “O melhor de dois mundos”, escrevem os ambientalistas no comunicado.
 
(...)

Sem comentários: