[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

domingo, 1 de julho de 2018

O QUE ACONTECE AOS CIDADÃOS QUANDO SE LIGAM OS COMPLICÓMETROS...


 O que vou narrar é uma coisa simples e linear que devia ser tratada como tal. MAS NÃO FOI...!

 No passado dia 24 de Maio faleceu uma Senhora, de quem me divorciei há cerca de 40 anos. A qual era Mãe de um Filho meu (nosso).

 Essa Senhora era cliente da NOS (TV, Voz e Internet) e esse nosso Filho utilizava um telemóvel que funcionava ao abrigo do contrato que acabei de mencionar. Perante essa situação o nosso Filho solicitou-me para eu pedir à MEO (a operadora que me fornece idênticos serviços) que procedesse à portabilidade do referido telemóvel da NÓS para a MEO. Para o efeito, contactei a MEO e eles mandaram-me os impressos para serem preenchidos e devolvidos à procedência e assim completarem o processo.

 Mas – há sempre um Mas....- era necessário que a Titular do contrato com a NOS também assinasse o referido documento. O QUE ERA MANIFESTAMENTE IMPOSSÍVEL. Por outro lado, como ela já era Viúva de um segundo casamento, também não tinha um Marido que assinasse por ela.

 Perante o exposto, para desbloquear o processo, eu sugeri o envio de uma CERTIDÃO DE ÓBITO (a Certidão de Óbito não só serviria de prova que ela faleceu no dia 24 de Maio de 2018, como de prova que o nosso Filho é Filho de ambos os contratantes. MAS NÃO, para a NOS, NÃO SERVE !

 Mas como se tal aberração não chegasse, as contas da NÓS, continua a ser “religiosamente” pagas nos prazos em que são devidas,.. pelos Filhos !

 Falando com a MEO, os mesmos estranham muito o procedimento da NOS porque, para eles, ou seja, para a MEO, a certidão de óbito da contratante era documento suficiente para ao assunto ter tratamento imediato.

 Por mim, estou convencido que este procedimento da NOS não é inocente. O que eles pretendem é ir CHUPANDO NA TETA, ENQUANTO DER ALGUM LEITE...!

 E depois dizem que há crise. Lá isso, há !

 Fernando Silva e Sousa

Sem comentários: