[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Estudo sugere que galinha atual é o símbolo do impacto do homem na natureza

O ser humano alterou completamente a morfologia das galinhas de exploração avícola em apenas algumas décadas. Esta situação manifesta-se em corpos enormes, patas deformadas ou corações enfraquecidos, segundo um estudo publicado na revista Royal Society Open Science. 

"A galinha de aviário moderna é irreconhecível comparativamente aos seus ancestrais ou aos seus congéneres selvagens", explica Carys Bennett, da Universidade de Leicester, na Inglaterra, coautora da investigação, que destaca "o esqueleto superdimensionado, uma composição química dos ossos e uma genética distintas”, em declarações à agência France-Press (AFP).
Oriundo do sudeste asiático, a animal foi domesticado há quase 8.000 anos. Mas foi apenas a partir dos anos 50, com a procura por ritmos de crescimento mais elevados, que começaram a formar uma nova espécie morfológica, aponta o estudo. Ler + (...)