[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Professores de informática denunciam má qualidade da Internet nas escolas

A Internet nas escolas "está a funcionar a dois tempos: 'lenta' ou 'parada'", denunciaram hoje os professores de informática, que querem também saber se os 23 milhões de euros anunciados pelo Governo para competências digitais vão trazer soluções ao problema.

Numa carta aberta ao ministro da Educação, os professores de informática recordam a Tiago Brandão Rodrigues a sua expressão 'escola-alfaiate', que utilizou para defender a necessidade de uma escola que se desenhe à medida das necessidades de cada aluno, para dizer que há "muitos remendos para cobrir".

"Então parece que puxamos para cima, puxamos para baixo. Segundo as histórias de encantar, podemos dizer que o "Rei vai nu", perdão a escola. Os retalhos são curtos e nem sempre aplicados no sítio certo", escrevem os professores no documento.
Na carta aberta ao ministro da Educação, a Associação Nacional de Professores de Informática (Anpri) recorda que já o último relatório 'Estado da Educação', do Conselho Nacional de Educação (CNE), divulgado há semanas, alertava para o facto de o material informático nas escolas estar obsoleto e ser insuficiente e questiona o governante sobre se os 23 milhões de euros que o executivo pretende alocar à capacitação dos portugueses em competências digitais vão chegar às escolas, nomeadamente à renovação das estruturas das redes e Internet.
"Pretendemos saber, se vai ser disponibilizado algum equipamento às escolas para que sejam criadas condições para que as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) - quer enquanto disciplina, quer como meio para a integração transversal nas várias áreas do saber - possam ser usadas condignamente por alunos e professores", lê-se na carta aberta da Anpri. Ler + (...)