[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

segunda-feira, 1 de julho de 2019

370 mil doentes pararam tratamento por falta de medicamentos

Nos últimos 12 meses, 3,4 milhões de utentes não conseguiram comprar todos os fármacos prescritos por falhas no fornecimento, obrigando quase metade a recorrer ao médico e mais de 300 mil a ter mesmo de suspender o tratamento, diz a Associação Nacional das Farmácias 

O diagnóstico não é bom e é feito pelo Centro de Estudos e Avaliação em Saúde (CEFAR): 370 mil doentes em Portugal (5,72% dos utentes das farmácias) foram obrigados a suspender o tratamento por falta de medicamentos no mercado. Em causa estão problemas de indisponibilidade de fármacos registados nos últimos 12 meses com origem laboratórios que muitas vezes preferem vender para países onde os preços são mais elevados, armazenistas e distribuidores ou até das próprias farmácias que para reduzirem os encargos, reduzem igualmente os stocks.  

No total, 3,4 milhões de utentes - mais de metade da população que recorreu às farmácias comunitárias - não conseguiram em algum momento comprar todos os medicamentos prescritos. A ausência de stock implicou que um em cada cinco doentes (1,4 milhões) tenha tido de recorrer a consulta com o médico para alterar o tratamento. Ler + (...)

Sem comentários: