[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

segunda-feira, 1 de julho de 2019

Não há nenhuma ordem judicial para moradores abandonarem o prédio Coutinho, diz advogado

Francisco Vellozo Ferreira afirma que “apenas existe uma notificação da parte da VianaPolis no sentido de as pessoas saírem, o que é uma coisa manifestamente diferente”. Este sábado a VianaPolis forneceu garrafões de água aos moradores resistentes.

Um dos advogados dos últimos nove moradores do prédio Coutinho, em Viana do Castelo, afirmou este sábado que “não existe nenhuma ordem judicial” para as pessoas abandonarem o edifício.
Em declarações aos jornalistas, Francisco Vellozo Ferreira acrescentou que ainda há “vários” processos judiciais pendentes relacionados com a expropriação do prédio. “Não existe nenhuma ordem judicial para as pessoas saírem. Apenas existe uma notificação da parte da VianaPolis no sentido de as pessoas saírem, o que é uma coisa manifestamente diferente”, sublinhou.
Em relação aos processos judiciais pendentes, Vellozo Ferreira explicou que se relacionam com a legalidade da expropriação do prédio e com o pedido de anulação dessa expropriação. Para o advogado, “já decorreu um prazo suficiente para que a declaração de utilidade pública da expropriação já não seja válida”. Apesar de tudo isto, vincou, “deve ser trilhado o caminho do diálogo”. Ler + (...)

Sem comentários: