[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Os preços a baixar e a concorrência a subir: Uber e Bolt vão à luta com saldos e os motoristas não gostam nada disso

O ano começou num sobressalto junto dos operadores de transporte. A Uber e a Bolt procederam a uma redução nas tarifas para os clientes, tentando contrariar a época baixa, mas os motoristas queixam-se de que a medida lhes reduziu os rendimentos. A situação expõe o mal estar no setor: há uma petição em curso clamando por mudanças e a associação criada para representar os motoristas está a tentar chegar aos decisores políticos. 

No início, era a Uber. É preciso remontar a julho de 2014, quando não existia a denominação TVDE (transporte individual de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma eletrónica) e o transporte de passageiros era exclusivamente assegurado pelo setor do taxi, até que o país foi introduzido a este tipo de serviço com a chegada da empresa norte-americana.
Na altura, estreava-se com o serviço de veículos de gama elevada, “UberBlack”, implementando pouco depois o “UberX”, mais económico e que se tornaria no serviço padrão. Seguiram-se então a espanhola Cabify em maio de 2016, a estónia Taxify, (agora Bolt), em janeiro de 2018 e a francesa Chauffeur Privé (que mudou o nome para Kapten) em setembro do mesmo ano. Ler + (...)

Sem comentários: