[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Bruxelas e Governo alinhados: impostos em Portugal vão pesar mais

O peso dos impostos na economia portuguesa vai continuar a aumentar este ano e no próximo ano, mantendo-se a tendência observada desde a crise. O recado chega da Comissão Europeia (CE) e é um indicador em linha com as previsões do Governo. 

No relatório sobre Portugal, divulgado esta quarta-feira, a CE estima que o peso dos impostos no Produto Interno Bruto (PIB) passe de 37,3% do PIB em 2019 para 37,4% em 2020 e para 37,5% em 2021. A instituição liderada por Ursula von der Leyen justifica a subida da carga fiscal com o bom desempenho da economia. A mesma tendência identificada pelo executivo de António Costa no Orçamento do Estado para 2020, pelo menos no caso deste ano, ainda que os números sejam diferentes, sendo que a diferença acontece porque Bruxelas incorpora na carga fiscal as contribuições sociais imputadas, ou seja, a parte que é paga pelas entidades patronais, que é excluída pelo Instituto Nacional de Estatística e pelo Governo quando calculam a carga fiscal.
A CE não explica o porquê da subida da carga fiscal este ano e no próximo, mas recua ao ano passado para argumentar que o aumento se deveu às «condições económicas que foram, no geral, favoráveis». Ler + (...)

Sem comentários: